× iCasei

Baixe o App do nosso casamento e busque: guedi

Baixar

Diana e Gustavo

SEJAM BEM-VINDOS AO NOSSO SITE
Diana e Gustavo

Sobre os padrinhos

Enquanto preparávamos o casamento, alguns conceitos budistas cruzaram nosso caminho, entre eles o de que os noivos devem escolher apenas um casal para ser o padrinho da união. Essa missão seria impossível pra gente, pois admiramos e fazemos questão da presença de tantas pessoas especiais, que optamos pelo tradicional altar cheinho de amor. Aqui você conhece um pouco das pessoas que escolhemos para continuar nos acompanhando de perto daqui pra frente. Separamos em “do noivo” e “da noiva” por pura formalidade, já que todos estão abençoando juntos a nossa nova família! <3

Padrinhos do Noivo

  • Karin e Manoel
    Karin e Manoel

    Os pais do noivo! Quem ainda não conhece, vai ter a oportunidade na festa. Aproveitem para dar um abraço nestes dois que adoram receber e conhecer os amigos dos filhos e da nora. Quem já conhece, já sabe o que fazer...
    Muito obrigado por terem participado com tanto carinho e de cada momento para chegarmos até aqui.

  • Marina e Marcelo
    Marina e Marcelo

    Normalmente, cada “cônjuge” escreve sobre os padrinhos do seu lado, mas tirando o textinho dos pais, o Gu me incumbiu de falar um pouco sobre os escolhidos dele também. Sobre a Má ele até começou a esboçar umas palavras, mas pra quem tá de fora é mais fácil enxergar como a relação deles é linda! Eles são amigos e companheiros que compartilham sentimentos, viajam juntos e trocam piadas internas a toda hora. O Gu tinha citado aqui algo breve sobre brigas, mas não os imagino em conflito. E o Marcelo chegou para somar! Pra trazer ainda mais alegria pro sorriso constante da Maroca e ser mais um parceiro pra nossa grande família. Até o dia do nosso casamento eles já vão estar tirando de letra as “brincadeiras” de “vocês são os próximos”!

  • Tia Susana e Tio Calé
    Tia Susana e Tio Calé

    Aqui a responsabilidade ficou grande para mim! A Tia Susana cuidou muito do Gu quando ele era piquininho, e resumir a admiração e a alegria que ele sente por ter esse casal sempre por perto não é simples. A felicidade dela ao receber nosso convite só mostra o quanto esse sentimento do Gu é acertado. Pra quem não os conhece, sugiro que tente ficar por perto na festa e tirar uma lasquinha da energia contagiante dela e do companheirismo dos dois! Tudo bem que o Calé tem um complô com a sogra e gosta de ir embora um pouquinho mais cedo das bagunças, mas o tempo que dedica à gente é sempre de muita qualidade. Um dos casais que servem como exemplo pra essa nossa nova jornada, sem dúvida!

  • Tio Ralph e Tia Sandra
    Tio Ralph e Tia Sandra

    Mais um casal de tios que não nos poupa apoio, parceria e amor! Tio Ralph veste a cara de durão, mas tem um coração de cortar com a colher. Homem de muitas “fé’s”, contar com seus votos só enriquece a energia que esperamos para esse momento! Tia Sandra é nossa dama piracicabana que vive no meio dos seus “pequenos” garotos – chegando mais um netinho agora – sem perder a doçura! De fala baixa e tiradas boas, ela anima qualquer cerveja com amendoim numa tarde à toa qualquer. Juntos, rendem a quem fica por perto muita risada, acolhimento e comida boa (salada de repolho, puchero e palha italiana mandaram lembranças!)

  • Simone e Marcelo
    Simone e Marcelo

    Esses outros dois netos do famoso Neco fazem parte da terceira geração do Periperi que não quer deixar as lembranças perdidas na poeira da casa do carro-de-boi. Ouvi-los contar do vô e de dias da infância em Guanambi faz o coração esquentar e me deixa ainda mais feliz por agora fazer parte dessa família! E como filhos de Susana e Calé, não podiam ser de outro jeito: engraçados, animados e muito companheiros! Uma delícia tê-los sempre com a gente!

  • Lucas e Larissa
    Lucas e Larissa

    Os “primo gente boa”! Começaram a namorar um pouquinho antes da gente e logo na continuação do meu primeiro encontro com o Gu, quando vim parar num aniversário em Jundiaí, os conheci! Meses depois, formamos nós 4 juntos o “apê dos casados” no carnaval do Rio de Janeiro e foi demais! Foi muito bom acompanhar a evolução do amor deles e saber que hoje, se o Arthur permitir, estarão lá abençoando o nosso!

  • Gabriel e Taísa
    Gabriel e Taísa

    O primo com a idade mais próxima à do Gu, mas que aproveitava do pouco mais de meio ano (e um tanto de tamanho também) de vantagem pra bater no coitado! Como o Gu tem um bom coração, o perdoou e na adolescência foram aprendendo juntos que existe sempre algo acontecendo em torno de uma cerveja – inclusive na memorável viagem dos dois ao Peru, na despedida de solteiro do Gal, antes de formar com a Taísa uma família linda que colore nossa família! O filho mais velho deles, o João Guilherme, é nosso pajem (e a mamãe prometeu que se até lá o José Bento já estiver dando uns passinhos, ele entra também).

  • Mazzuco e Aninha
    Mazzuco e Aninha

    O único padrinho do Gu que “não é da família”. Não é da família MUITO entre aspas, porque não dá pra dizer que a amizade desses dois meninos (tranquilos, bons de copo e sem limites), que acabou unindo pais e irmãos também, não é coisa de família. O Mazzuco, sempre no espaço-tempo particular dele, encontrou uma mocinha também repleta de particularidades encantadoras! Compartilhar momentos com eles nos faz tão bem que fizemos questão de convidá-los para acompanhar de pertinho nossa união!

Padrinhos da Noiva

  • Zaida e Paraná
    Zaida e Paraná

    Os pais da noiva! Ela mais séria e reservada (fama de brava por aí), ele mais piadista e tranquilo. Os dois, parceiros de uma jornada looonga, de 40 anos construindo um patrimônio e uma família com dedicação e amor. Depois de tanto trabalho, eles estão se abrindo cada vez mais para os momentos de celebração e por isso estão muito felizes em podermos reunir tantos familiares e amigos numa festa linda! Brindem com eles e podem parabenizá-los à vontade, porque eles merecem!

  • Diego e Nathália
    Diego e Nathália

    O “famoso” irmão da noiva. Quem a conhece sabe da fama de chato do rapaz, mas por trás das poucas palavras (e da cabeça cheia) existe um coração gigante, que aparece cada vez mais desde que a querida (e de muitas palavras) Nathália chegou para deixar a nossa família ainda melhor! Um casal que mostrou pra gente que o casamento pode trazer mais carinho e cumplicidade pro relacionamento e alegrias em dobro!

  • Valéria e Raimundo
    Valéria e Raimundo

    Quem já trocou mais de 15 minutos de prosa com a noiva, já ouviu falar da Bá! A “mãe preta” começou a ajudar a dona Zaida com as crianças quando eu tinha 1 aninho e desde então se tornou um misto de mãe com irmã mais velha – que de velha não tem nada e parece que nunca vai ter! Talvez por isso tenha se casado com outro detentor da fórmula da juventude, o Raimundão. Esse é o casal que me apresentou a grandeza e a diversidade do mundo – bem como uma boa feijoada com pagode, quando me levavam de chaveirinho pros botecos e festas na mãe da Bá quando eu era pitiquita ainda.

  • Luiz Felipe e Gabriela
    Luiz Felipe e Gabriela

    A mãe da noiva tem 12 irmãos! Como não cabe todo mundo no altar, precisamos eleger representantes dessa Família Longo. O Fê é filho dos meus padrinhos de batismo, com quem eu convivi (e briguei muiiito) na infância. Vê-lo se tornar um homão lindo e educado (e solteiro, meninas) me deixa muito feliz e além de tudo, dizem que é importante ter um padrinho bom de farra na pista, né?! A Gabi, filha de outra tia, é minha xodozinha! Exatamente 10 anos mais nova que eu, nunca imaginei que se tornaria tão minha amiga e companheirinha, principalmente no ano que morei em Araras.

  • Bianca e Leandro
    Bianca e Leandro

    E não é que o pai da noiva também tem 12 irmãos?! Mais uma vez, elegemos um casal para representar a Família Chiquelero (sim, o S do meu sobrenome é erro de cartório). A Bianca é a prima por parte de pai com quem eu mais convivi (e também briguei bastante). Temos exatamente a mesma idade (apenas 15 dias de diferença), mas ela começou a namorar bem novinha e com o homem certo! Hoje, casada com o Leandro, uma das pessoas mais felizes e de coração mais puro que eu conheço, e que com certeza vai rrrralar a ponta da botina na festa (essa parte o Gu que mandou pôr)! Fico muito feliz por tê-los dividindo um pouco da energia gostosa deles com a gente neste dia!

  • Lutimila e Thomaz
    Lutimila e Thomaz

    Uma amiga de infância e um amigo da faculdade. Ela, a grude desde a segunda série, quando tínhamos 7 anos de idade. Sem dúvida, presente em muito da formação da minha personalidade e pra quem nunca precisei nem falar o tal do “não conta pra ninguém” (mesmo com aqueles segredos fim-de-mundo de adolescente, que hoje não teriam nenhuma importância). E o melhor é poder até hoje confiar as angústias e os sentimentos “feios” da vida adulta a alguém que te conhece tanto, sem medo de julgamento.
    Já o Thomaz, foi o amigo que a convivência diária da graduação deu. Amizade que passou pelo teste de fogo quando decidimos fazer o TCC juntos. Uma semana grudados 24h por dia, fora os estresses da produção já de volta a Campinas! Sobrevivemos! É uma alegria poder contar com essa companhia – e as memórias dos melhores anos da minha vida até aqui – pra sempre!

  • Isabela e Gabriel
    Isabela e Gabriel

    Mais uma amiga de infância fazendo par com um amigo da faculdade. A Isa, mais uma das pessoas com o coração mais lindo que conheço, era como uma irmã, pois moramos separadas por 3 andares durante mais de 10 anos, até que fomos dividir apartamento na faculdade. Nesse período, minha organização virginiana implicou com a bagunça pisciana dela, mas assim como fazemos com alguém da família, ignoramos as diferenças e o amor prevalece, mantendo a amizade.
    Quem também apareceu na minha vida na faculdade – e depois foi morar comigo e com a Isa por um tempinho – foi o Brisa. Nessa fase, em que vamos morar longe da família numa cidade que não conhecemos ninguém, os laços de amizade ficam ainda mais fortes e formamos famílias. O Brisa era um membro da minha grande família campineira (junto com a Gabi, que vai ser nossa testemunha do civil), um irmão às vezes mais velho, às vezes mais novo folgado que tínhamos que cuidar, mas muito amado.

  • Laura e Bruno
    Laura e Bruno

    Por fim, o nosso começo! A Laura é a famosa “amiga em comum”, que une tantos casais. Minha, da faculdade – identificação que bateu desde o dia do nosso trote. Do Gu, de infância da família. Mas a amiga em comum não apresentou o casal – e pelo que ela conta, nunca apresentaria, pois achava que não tínhamos nada a ver! Tivemos que nos descobrir por conta, no casamento dela com o querido Pantera. Além das qualidades individuais, que fazem com que a gente perca a noção do tempo quando estamos juntos, eles formam um casal que vale de exemplo para o nosso cotidiano. Um casal que se respeita, se apoia e, principalmente, que se diverte junto! Por isso, além de tê-los como cupidos e vizinhos, os queremos como padrinhos do nosso amor que, de uma forma ou de outra, nasceu do deles!